THE Travel & Tours

Bem-vindo a uma jornada pela imponência e grandiosidade do Mosteiro da Batalha, um tesouro arquitetónico que narra a história de Portugal. Situado na encantadora vila da Batalha, este mosteiro é um testemunho da devoção, perícia arquitetónica e dos eventos marcantes que moldaram o país ao longo dos séculos.

O Início da Jornada: Fundação e Significado

A história do Mosteiro da Batalha remonta ao século XIV, quando o rei Dom João I prometeu construir um monumento em agradecimento à Virgem Maria pela vitória na Batalha de Aljubarrota. O mosteiro, inicialmente concebido no estilo gótico, foi construído ao longo de várias gerações, testemunhando o empenho contínuo de artesãos e arquitetos.

Arquitetura Gótica Deslumbrante

Ao entrar no Mosteiro da Batalha, os visitantes são envolvidos pela grandiosidade da arquitetura gótica. Os detalhes intricados dos vitrais, as abóbadas celestiais e os claustros ornamentados são testemunhos da perícia artística da época. Cada pedra conta uma história, desde as capelas até às capelas imperfeitas, proporcionando uma visão única da devoção e do génio arquitetónico.

As Capelas Imperfeitas: Uma Obra Inacabada de Beleza Singular

Um dos destaques do Mosteiro da Batalha é a intrigante Capela do Fundador, também conhecida como as Capelas Imperfeitas. Este tesouro arquitetónico inacabado revela uma visão ambiciosa que ultrapassava as capacidades da época. Apesar de inacabadas, as capelas exibem uma beleza singular, com esculturas detalhadas e uma cúpula impressionante.

O Claustro Real: Uma Janela para a Vida Monástica

Percorra os claustros do Mosteiro e mergulhe na serenidade do Claustro Real. Este espaço magnífico, com os seus arcos delicadamente entalhados, oferece uma visão íntima da vida monástica. Imagine monges meditativos a caminhar por esses corredores, contribuindo para a atmosfera sagrada que ainda envolve o Mosteiro.

O Panteão dos Heróis: Descanso Eterno de Personalidades Ilustres

O Mosteiro da Batalha é também o local de repouso eterno de figuras ilustres da história portuguesa. No Panteão dos Heróis, os túmulos de Dom João I e Dom Filipa de Lencastre testemunham o papel crucial desses monarcas na formação de Portugal.

A Influência Manuelina: Uma Adição de Elegância e Riqueza

À medida que o Mosteiro se desenvolveu, a arquitetura manuelina deixou a sua marca distintiva. Os elementos decorativos, como cordas e nós, adicionam uma camada de elegância e riqueza ao Mosteiro, destacando o período Manuelino como uma época de expansão artística.

Visitar o Mosteiro da Batalha: Uma Experiência Envolvente

Ao visitar o Mosteiro da Batalha, os viajantes têm a oportunidade de explorar não apenas a história, mas também a espiritualidade que permeia essas paredes centenárias. Cada capela, cada detalhe arquitetónico, conta uma história de fé, perseverança e dedicação à Virgem Maria.

Património Mundial da UNESCO: Reconhecimento Global

Em 1983, o Mosteiro da Batalha foi classificado como Património Mundial da UNESCO, destacando a sua importância cultural e arquitetónica. Este reconhecimento global reforça o papel fundamental do mosteiro na preservação da herança portuguesa e na sua contribuição para o património mundial.

Mentes Brilhantes: Os Responsáveis por esta Obra Notável

O Mosteiro da Batalha foi encomendado a ser construído pelo rei Dom João I de Portugal como forma de agradecimento à Virgem Maria pela vitória na Batalha de Aljubarrota, travada em 1385. A construção começou no século XIV e estendeu-se ao longo de várias gerações, com contribuições significativas de diferentes arquitetos e artesãos ao longo dos anos.

A direção inicial da construção foi confiada ao arquiteto português Afonso Domingues. No entanto, após a sua morte em 1422, o comando passou para o arquiteto Huguet, que introduziu elementos do estilo gótico flamejante e iniciou a construção das Capelas Imperfeitas.

A construção do Mosteiro da Batalha continuou ao longo dos séculos, incorporando também elementos do estilo manuelino durante o reinado de Dom Manuel I. Vários reis portugueses contribuíram para o desenvolvimento e embelezamento do mosteiro, resultando na diversidade arquitetónica que vemos hoje.

O Mosteiro da Batalha é um testemunho da devoção, engenho arquitetónico e perseverança ao longo da história portuguesa, e a sua construção envolveu uma colaboração notável de várias mentes criativas ao longo de diferentes períodos.

Além do Mosteiro: Explorando a Vila da Batalha

Além das magníficas paredes do Mosteiro, a vila da Batalha oferece charme e autenticidade. Percorra as ruas pitorescas, descubra lojas locais e saboreie a gastronomia regional em restaurantes acolhedores.

Curiosidades: De que é Feito?

O Mosteiro da Batalha foi construído principalmente com o uso de calcário local. O calcário é uma rocha sedimentar que pode ser esculpida com relativa facilidade quando é extraída, tornando-o um material escolhido para a construção de estruturas arquitetônicas. As pedreiras próximas ao local do mosteiro forneceram o calcário utilizado na edificação.

Além do calcário, outros materiais, como mármore, foram usados em elementos decorativos e detalhes arquitetônicos. O mármore, conhecido pela sua beleza e durabilidade, muitas vezes era utilizado em colunas, esculturas e embelezamentos para realçar a estética do mosteiro.

A combinação de calcário e outros materiais de qualidade contribuiu para a resistência e a magnificência duradoura do Mosteiro da Batalha, transformando-o em uma obra-prima arquitetônica que resistiu ao teste do tempo.

Conclusão: Uma Jornada Inesquecível pela História Portuguesa

O Mosteiro da Batalha é mais do que um monumento; é uma janela para a história de Portugal. Ao percorrer os seus corredores, os visitantes são transportados para uma era de devoção, arte e poder régio. Esta jornada inesquecível pelo passado de Portugal deixa uma marca duradoura, celebrando a riqueza da herança cultural do país.

Planifique a sua visita ao Mosteiro da Batalha e deixe-se envolver pela magnificência deste património nacional único.

Horários

16 de outubro a 31 de Março
Das 09h00 às 18h00 (última entrada 17h30)
1 de abril a 15 de outubro
Das 09h00 às 18h30 (última entrada 18h00)

O horário de funcionamento do Monumento pode ser prolongado mediante marcação prévia, em condições a acordar.

Encerrado: 1º de janeiro, domingo de Páscoa, 1 de maio e 25 de dezembro.

Horário dos Serviços Administrativos: de 2ª a 6ª feira, das 9h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30

Bilhete normal: 10,00 €

Meios de pagamento: dinheiro, cartão Visa, multibanco e cheque.

Utentes de algumas entidades têm condições especiais de entrada.

Quer visitar este fantástico monumento sem preocupações?

Confira aqui o nosso passeio de Fátima que passa também na Batalha, Nazaré e Óbidos!

Informações sobre horários e preços foram obtidas da página oficial do monumento, logo a THE não se responsabiliza por qualquer alteração a esta informação. Pode conferir a página aqui.

THE Travel & Tours

Newsletter

Motorista á Disposição